Acupuntura Sistêmica

Acupuntura Sistêmica : Menopausa e Meio da Vida

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), há em todos os seres certa harmonia entre o Yin e Yang. O Yin é forma, substância, tudo que é palpável e constitui o organismo. Já o Yang representa aquilo que é animado, o movimento, a transformação. No ser humano, a alternância do yin e do yang é expressa pelo Qi (energia) e pelo xue (sangue). Na mulher existe uma predominância de sangue e no homem de energia. Sendo assim, a mulher é mais Yin, sangue e substância, e o homem é mais Yang, energia e movimento.
Vivemos uma época em que, cada vez mais, a menopausa é vista como uma fase que mulher nenhuma almeja, pois traz sintomas indesejáveis, mas essa e uma visão triste e superficial. Passadas as ilusões de menina-moça, realizadas as funções maternas (em algumas mulheres) e cumpridas as metas da primeira parte da vida, que muito têm a ver com aquisições físicas e materiais, finalmente é chegada a idade madura da mulher, o momento da queda do Yin.
O tratamento da menopausa pela acupuntura, alimentação e atividade física tem como objetivo ajudar a mulher a reencontrar seu ponto de equilíbrio. Entretanto não será capaz de suprimir todos os sintomas. Não podemos esquecer que são justamente os sintomas que obrigam a mulher a tomar consciência das mudanças em seu corpo. Por isso é importante que o acupunturista não se limite apenas a colocar agulhas; seu papel é acompanhar, sentir e se fazer presente nesse momento de grandes transformações.
Os sintomas dessa acentuada queda de Yin são calorões, diminuição do sono, sudorese noturna, diminuição da lubrificação das mucosas, ressecamento da pele, parada de menstruação. A mulher fica mais agitada e inquieta, sendo mais suscetível a mudanças de humor. A depressão às vezes se torna presente neste período, pois as mulheres se sentem perdidas,com um vazio, e perguntam para si mesmas: o que está acontecendo comigo?
A Medicina Tradicional Chinesa aponta o desequilíbrio energético do meridiano do Rim como o principal fator desencadeante dessas alterações. O desequilíbrio do Rim poderá estar associado ao desequilíbrio energético dos meridianos do Fígado, Coração, Estômago e Baço-Pâncreas, além de estagnação do Qi (energia) e do Xue (sangue).
Todo ciclo contém em si o nascimento, o crescimento, o envelhecimento e a morte. A menopausa é um momento em que não há mais a possibilidade de procriação, a menstruação cessa e a Essência Vital (Jing) dirige-se ao coração, por não estar mais ligado à função reprodutiva. Nesse momento potencializa-se a capacidade da mulher entrar ainda mais em contato com sua natureza íntima. É um convite ao recolhimento das projeções da primeira parte da vida, é o espaço necessário para simplesmente ser e sentir o corpo e a pulsação interior. Que venha este novo ciclo: não se pode criar nada quando tudo está completo, só no vazio há espaço para o novo: menopausa.
Adriana da Boit Educadora Física e Acupunturista

Acupuntura na Prevenção e Reabilitação de atletas de corrida

Acupuntura na Prevenção e reabilitação de atletas de corrida

Superar obstáculos é um dos desafios frequentes de atletas de alto rendimento. O bom desempenho no esporte resulta de uma soma de fatores físicos e mentais, aliado ao treino constante, no qual muitas vezes o limite é a dor. Cada esporte tem sua característica motora predominante, em que o corpo trabalha como um todo e envolve vários grupos musculares e articulares. Dependendo da modalidade, prioriza determinados grupos o que pode ocasionar sobrecarga muscular, esquelética e articular.
Na Medicina Tradicional Chinesa, a Acupuntura é uma técnica milenar muito utilizada pelos orientais para melhorar a performance física de seus atletas, guerreiros e dançarinos. A Acupuntura tem como objetivo restabelecer o equilíbrio interno das energias do corpo, retomando a sua homeostase. Por meio da circulação energética, podemos tratar e prevenir desequilíbrios como lesões, distúrbios do sono, distúrbios emocionais, estresse e aliviar dores.

A Acupuntura vem ganhando cada vez mais espaço na área esportiva e tem sido considerada como um recurso para o tratamento de atletas com ótimos resultados. No caso de esportes, que utilizam mais os membros inferiores (quadril, coxa, perna, tornozelos etc.), como a corrida, é possível propor ao atleta um condicionamento global e também específico para cada modalidade, obtendo a melhora da performance e prevenindo possíveis lesões. Além da acupuntura sistêmica, utiliza-se várias técnicas como a eletroacupuntura, a auriculoterapia, a Tuina, ventosas e moxabustão.

Veja alguns benefícios da Acupuntura para atletas de corrida:
- melhora o funcionamento orgânico e a distribuição de energia nos músculos e articulações, auxiliando na diminuição da fadiga muscular;

- acelera a recuperação física pós-treinamento e promove relaxamento;

- ajuda a diminuir a ansiedade, a tensão e a dificuldade de concentração;

- estimula o organismo a liberar substâncias analgésicas e antiinflamatórias, melhorando a circulação sanguínea no local lesionado ou fatigado, reduzindo inchaços e diminuindo o tempo de recuperação da lesão.

É importante salientar que, para ter um elevado desempenho físico, o corredor deve realizar um treino adequado e manter uma boa alimentação.

Alinhamento Corporal

Alinhamento Corporal

Através das observações simétricas corporais, são efetuadas manipulações precisas e objetivas, buscando respeitar as características físicas, emocionais e psicológicas de cada indivíduo. São trabalhados as compensações corporais adquiridas durante o tempo de vida, alterando e modificando estas condições.

A técnica de Alinhamento Corporal foi criada pelo Mestre Wilson Moreira Lima. Onde durante 4 anos o mestre, em mais de 10.000 atendimentos foi, enriquecendo, aperfeiçoando e somando aos seus conhecimentos

Para a realização de Alinhamento Corporal, é necessária a visualização do cliente em frente a um espelho, buscando sua consciência da simetria corporal atual, após este procedimento é pedido ao cliente deitar e relaxar, pois será feito pelo terapeuta pressões com as mãos em toda a região do cóccix, sacro, coluna vertebral, escápulas, joelhos e pés. Esta técnica tem como objetivo devolver o movimento funcional fisiológico, promovendo a liberação de fixações articulares, musculares e nervosas do sistema musculoesquelético

É uma técnica que demonstra com excelência uma forma inteligente e eficaz de tocar o corpo físico, visando promover seu equilíbrio.

Vale à pena conferir!!!!

WILSON MOREIRA LIMA
Email: Wilsonmoreiralima@yahoo.com.br

Treinamento Funcional

O Treinamento Funcional foi criado nos Estados Unidos e vem sendo muito bem difundido no Brasil, ganhando inúmeros praticantes. Tem como princípio preparar o organismo de maneira integral, segura e eficiente através do centro corporal, ou “core”, como é chamado nesse método. O Treinamento Funcional representa uma verdadeira revolução nos conceitos de treinamento esportivo. A metodologia empregada possibilita o atendimento das necessidades específicas do indivíduo, seja um atleta de alto rendimento ou simplesmente um praticante de exercícios visando saúde e qualidade de vida.
Os objetivos desse método de exercício representam uma volta à utilização dos padrões fundamentais do movimento humano (empurrar, puxar, agachar, girar e lançar, dentre outros), envolvendo a integração do corpo todo para gerar um gesto motor específico em diferentes planos de movimento.
O treinamento funcional visa aprimorar ou resgatar a eficiência do movimento humano para atividades do cotidiano. É um grande aliado para quem deseja perder peso, pois utiliza exercícios integrados e diferentes capacidades físicas em um mesmo exercício. A intensidade se torna mais alta que a musculação tradicional, que isola os músculos. Você pode queimar até 700 calorias em uma aula de treinamento funcional.
Importante: as séries e repetições são determinadas em função do objetivo predeterminado pelo professor, de acordo com as necessidades do aluno.
O programa de exercícios funcionais traz vários benefícios tanto para o corpo quanto para a mente:
- desenvolvimento da consciência sinestésica e controle corporal;
- melhora da postura;
- maior equilíbrio muscular;
- diminuição da incidência de lesão;
- aumento do desempenho atlético;
- estabilidade articular, principalmente da coluna vertebral;
- aumento da eficiência dos movimentos;
- melhora do equilíbrio estático e dinâmico;
- aumento da força e melhoria da coordenação motora;
- fortalecimento da resistência central (cardiovascular) e periférica (muscular);
- melhora da lateralidade corporal;
- ampliação da flexibilidade e propriocepçao.
Isso tudo, além de desenvolver outras qualidades necessárias e indispensáveis para a eficiência diária e esportiva.
Vale a pena lembrar que, antes de iniciar o programa de treinamento funcional, deve ser realizada uma avaliação, para que se possam saber quais as restrições e limitações de cada indivíduo de modo a direcionar o treinamento com segurança e qualidade.

Adriana da Boit
Educadora Física e Acupunturista
WWW.adrianadaboit.com.br

Poluição Estrogênica

POLUIÇÃO ESTROGÊNICA

Justamente quando a Terapia de Reposição Hormonal (TRH) dita clássica vem passando por um reexame quanto a seus riscos e benefícios, retoma força um assunto pouco difundido entre médicos e leigos.
Nas últimas décadas, principalmente no pós-guerra, a Indústria Química vem lançando no mercado um número cada vez maior de substâncias sintéticas, numa velocidade que torna impossível o estudo correto de suas conseqüências a médio e longo prazo tanto sobre o ser humano e sua prole, quanto sobre o meio ambiente. Muitas delas não têm nem antídoto conhecido e muitas são mimetizadoras hormonais. Algumas imitam o estrógeno (hormônio feminino), mas outras interferem em outras partes do sistema endócrino, como o metabolismo da testosterona e da tireóide.
Elas espreitam a nós e a nossos filhos nos agrotóxicos, assim como nos agentes químicos industriais conhecidos como PCBs (usados em transformadores elétricos e muitos outros produtos) e nas dioxinas (produzidas durante a fabricação de certos agentes químicos que contêm cloro, como agrotóxicos ou produtos para conservar madeira, assim como durante o branqueamento do papel, queima de lixo contendo plásticos e papel e queima de combustíveis fósseis). Também são liberados da maioria dos plásticos e estão presentes na maioria os produtos cosméticos, incluindo shampoo e condicionador (é o caso dos parabenos).
São adicionados à ração dos frangos, do gado e dos porcos. A maconha também contém substância estrogênica e tem causado ginecomastia (aumento das mamas) entre homens.
Apesar de os detergentes não-biodegradáveis não serem intrinsecamente estrogênicos, certas bactérias encontradas no corpo de animais, no ambiente ou em instalações de tratamento de esgoto degradam-nos, criando agentes químicos que imitam os estrogênios.
Tratam-se de substâncias lipossolúveis, a maioria delas persistentes (que resistem à decomposição), e que, jogadas no meio ambiente, acabam se concentrando no tecido gorduroso dos animais. E essa concentração é exponencialmente maior à medida que se sobe na cadeia alimentar (pode ser 25 milhões de vezes maior em um predador do topo da cadeia do que na água que o cerca). E o homem não é um predador de topo de cadeia? Estes venenos estão em altas concentrações na gordura e no sangue de seres humanos e no leite materno. Além disso, ultrapassam a barreira placentária (venenos hereditários).
Esse mar de poluentes está aumentando a incidência de várias doenças como: câncer de mama, de útero, de próstata, de testículo; miomas e pólipos uterinos; tensão pré-menstrual (TPM); obesidade; hipotireoidismo; diabetes II; depressão, irritabilidade, ansiedade, agressividade; baixa imunidade; cálculos de vesícula biliar; varizes e hemorróidas; dores de cabeça; irregularidades menstruais; acne; hipertensão arterial; doenças auto-imunes, etc.
Mas o mais grave é que a taxa de fertilidade masculina está baixando 2% ao ano (20% por década), colocando em cheque até a perpetuação da raça humana neste planeta.
Os governos estão conscientes do problema; os cientistas também. Poucos médicos brasileiros sabem desta poluição e o povo é mantido no mais completo desconhecimento, pois as soluções envolvem multinacionais e não são do interesse dos poderosos.
Pensem nisso e procurem se informar. Recomendo o livro “O Futuro Roubado” – Theo Colborn – Editora LPM. Depois, tenham coragem para mudar e tomem alguma atitude. Defendam seus filhos e netos e o futuro da Humanidade.
Recomendo também o site: www.nossofuturoroubado.com.br e o vídeo “Agressão ao Homem” no www.YouTube.com (feito pela BBC de Londres).
Dra. Scheyla Ervis Ceroni –CREMERS 11063

Exercício Físico na Gravidez

Os exercícios físicos são essenciais para o bem-estar e saúde durante todos os períodos da nossa vida, inclusive no período de gerar uma nova vida. Os exercícios durante a gravidez já foram considerados um tabu.
As mulheres eram aconselhadas a ficar em pé o mínimo possível, levando uma vida sedentária. Hoje, no entanto, isto mudou, sendo a atividade física recomendada durante toda a gravidez pelos médicos, exceto para aquelas que apresentam complicações na gestação.

Para as mulheres que querem engravidar, as gestantes ou aquelas que acabaram de gerar seu filho necessitam de cuidados especiais: boa alimentação e atividade física orientada para cada uma de suas fases. Antes de engravidar a mulher deve preparar seu corpo e sua mente para este momento mágico que é a gestação.
Músculos posturais, debilidades de força e flexibilidade, condição aeróbica, musculatura do assoalho pélvico devem ser trabalhados.
Atividades Físicas Recomendadas:
* Exercícios aeróbios como caminhada, natação, ciclismo, hidroginástica;
*Musculação ou ginástica localizada;
* Alongamentos;
*Ioga
*Treinamento funcional;
*Pilates

Alguns benefícios do Exercício na Gravidez:
*Melhora do equilíbrio muscular e da coordenação motora
*Desenvolvimento da consciência e controle corporal
*Melhora da postura
*Diminuição da incidência de lesão
*Aumenta a resistência cardiorespiratória e muscular;
*Fortalece e tonifica os músculos da Pelve, abdômen e lombo- dorsais( músculos mais afetados durante a gestação).
Exercite-se com o consentimento do seu médico e o acompanhamento de um professor de educação Física.
E importante salientar que todo exercício deve ser feito de forma personalizada, fazendo as adaptações necessárias para cada fase gestacional, tornando o atendimento seguro e dinâmico. .

Adriana da Boit – Educadora Física e Acupunturista
WWW.adrianadaboit.com.br

É VERÃO: MOVIMENTE-SE!

por Adriana da Boit, educadora física e acupunturista

Chegamos na época de muito sol, de curtir as férias. O verão é uma estação que convida à prática de atividade física, especialmente as realizadas ao ar livre. Caminhar e correr à beira-mar, jogar futebol de areia, nadar, jogar frescobol, fazer exercícios com pesos etc., qualquer atividade física no verão é altamente saudável, desde que tomemos as devidas precauções: antes de iniciar qualquer atividade física é fundamental fazer uma avaliação médica com um cardiologista ou com um médico desportivo; o segundo passo é procurar um educador físico qualificado para saber qual o tipo de atividade que melhor se adapta aos seus objetivos e definir a intensidade e o ritmo ideal do seu exercício. Devemos tomar mais cuidado no verão devido ao excesso de calor, pois durante a atividade física a temperatura interna do nosso organismo aumenta. Existe uma espécie de relógio que impede que a temperatura ultrapasse um determinado ponto. Se ela subir demais, perdemos proteínas, conseqüentemente diminuindo a performance no exercício e também corremos o risco de enfraquecimento ou desmaios. Por isso é importante usar roupas leves, beber muita água e evitar os horários de sol forte.

Algumas dicas para encarar o verão com saúde:

• Antes da atividade física, consulte um médico para fazer uma avaliação clínica e procure um educador físico para definir a melhor atividade e a intensidade do trabalho.
• Faça sempre aquecimento antes dos exercícios e alongamento depois.
• Use roupas confortáveis e de fácil transpiração para que possa ocorrer a evaporação.
• Sempre caminhe ou corra de tênis, mesmo que esteja na praia. O tênis deve ser flexível, com absorção de impacto.
• Evite correr em terrenos inclinados e com imperfeições como, por exemplo, ruas e calçadas irregulares e esburacadas.
• Proteja-se do sol: evite o horário entre as 10 e 16 horas e utilize protetor solar e boné ou chapéu.
• Beba bastante água.

Atenção: procure exercitar-se no mínimo três vezes por semana e lembre-se que exercícios exaustivos realizados esporadicamente são mais prejudiciais do que a falta de atividade.

Auriculoterapia no Esporte

A Acupuntura Auricular é uma das áreas de atuação da acupuntura que tem como foco de tratamento o pavilhão auricular. É uma técnica que utiliza estímulos em pontos específicos do pavilhão auricular, com a intenção de estimular terminações nervosas periféricas, que levam o estímulo nervoso até o córtex cerebral. O córtex então reconhece a área reflexa estimulada e envia um novo estímulo ao órgão ou região a ser tratada. As diversas regiões da orelha podem ser estimuladas com agulhas próprias para esse tipo de tratamento: esferas prateadas, douradas, de aço, sementes de mostarda, entre outros.
O tratamento visa à normalização dos órgãos e sistemas doentes, estimulando, sedando ou harmonizando os pontos reflexos na orelha, propiciando o equilíbrio. As diversas funções do organismo estão inter-relacionadas, e se houver algum distúrbio alterando esse relacionamento a doença pode ocorrer. Nesse caso, a Acupuntura Auricular poderá ajudar a restabelecer o bem estar e a saúde.
No mundo dos esportes há uma constante busca de métodos para melhorar o desempenho e aumentar a competitividade dos atletas. Na Acupuntura existem pontos para potencializar o tratamento que atuam na prevenção de lesões e no aumento do desempenho, como analgésico em dores agudas, diminuem a ansiedade e a irritabilidade e ajudam na recuperação física e energética do praticante de esporte.
Algumas indicações:
• Contusões, distensões, contraturas, espasmos;
• Disfunções da tireóide, diabetes, obesidade, anorexia;
• Vertigens, espasmos de musculatura lisa, hipertensão e nas disfunções respiratórias, urinárias, digestivas e circulatórias;
• Alterações emocionais e enfermidades crônicas.

A Cura está ligada ao tempo e às vezes também às circunstâncias, frase atribuída a Hipócrates. Vale a pena lembrar que não existem técnicas ou fórmulas mágicas. É preciso respeitar a capacidade de recuperação de cada organismo, avaliar todos os aspectos envolvidos e ter sempre em mente que a cura não é responsabilidade exclusiva de quem trata, mas também de quem é tratado(Marcus Lisboa).

Atividade Física em Pessoas com Transtornos de Humor

Atividade Física em Pessoas com Transtorno de Humor

São inúmeras as evidências dos efeitos benéficos do exercício físico sobre a saúde em geral. Nos últimos vinte anos, diversos trabalhos científicos têm avaliado o papel da prática de atividade física em pacientes com algum tipo de transtorno psicológico, sugerindo um efeito positivo do exercício físico tanto no tratamento, quanto na melhora da qualidade de vida e bem-estar destes indivíduos. O caso do transtorno afetivo bipolar é um dos mais notáveis.
Os distúrbios bipolares caracterizam-se por oscilações entre a depressão e a mania, os quais envolvem episódios maníacos, hipomaníacos, depressivos e mistos. Ocorre uma escassez de substâncias que são encarregadas de propagar os estímulos nervosos. Os sintomas mais comuns são oscilação de humor, falta de energia e de motivação, muito ou pouco apetite, pouco ou muito interesse sexual, incapacidade de tomar decisões, pensamentos negativos, concentração reduzida, insônia, agressividade, irritabilidade e ansiedade.
A atividade física atua positivamente nesses quadros clínicos como prevenção de possível recaída e contribui para diminuir quantitativamente a necessidade da ingestão medicamentosa. Exercícios aeróbicos com intensidade em torno de 65% a 80% auxiliam na redução de ansiedade, podendo assim reduzir o nível de cortisol, que normalmente se encontra aumentado no portador do distúrbio bipolar. A prática de exercício físico aponta mudanças nos níveis de neurotransmissão, afetando positivamente o comportamento afetivo e motor, a percepção sensorial e a integração sensório-motora.
Com relação ao sono, a atividade física é considerada uma intervenção não farmacológica para melhora da qualidade do sono. Pesquisas apontam que pessoas ativas têm melhor qualidade de sono do que as inativas.
Exercícios físicos com intensidade de 70% a 80% da freqüência cardíaca, paralelamente ao relaxamento (ioga, bola suíça, body balance e outros), têm mostrado grande eficiência na regularização do parâmetro bioquímico do cortisol, melhorando a qualidade de vida e prevenindo as doenças crônicas degenerativas. As atividades aeróbicas com intensidades maiores, de 80% a 85%, auxiliam na captação de serotonina.
É necessária uma perspectiva multidisciplinar, com o apoio de médicos, psiquiatras, psicólogos e nutricionistas no atendimento dos portadores de transtornos de humor pelos profissionais de educação física. O planejamento da atividade física deve prescrever diferentes intensidades e volumes de acordo com cada indivíduo e com os episódios decorrentes das fases pelas quais passam os portadores do transtorno bipolar.
É importante salientar que a atividade física é um auxiliar no tratamento de transtorno de humor e não elimina o tratamento com medicamentos e psicoterapia. É fundamental que o profissional de educação física seja qualificado, ou seja, além de ser graduado e credenciado, ele deve se manter atualizado e buscar o conhecimento técnico adequado para cada caso, de modo a atender corretamente o aluno e contribuir para seu progresso.
Adriana da Boit
Educadora Física e Acupunturista

Treinamento Resistido na Terceira Idade

Os Benefícios do Treinamento Resistido na Terceira Idade

Até alguns anos atrás, apenas os exercícios aeróbios eram recomendados e utilizados para a melhora e manutenção da saúde. Pouco se conhecia sobre os riscos da musculação sobre o sistema cardiovascular. Com o envelhecimento ocorre uma diminuição lenta e progressiva da massa muscular, que é substituída por colágeno e gordura. A partir da terceira década de vida, o aumento da gordura se reflete em ganho de peso, até aproximadamente os 60 anos. Depois desta idade, embora ainda haja aumento de gordura, o aumento do peso não é mais tão evidente, pois a perda da massa muscular e óssea começa a se acentuar, mantendo o peso corporal mais estável. Após os 40 anos de idade, pela lenta absorção, ocorre a perda de massa óssea, podendo chegar a 1% ao ano. Nas mulheres na menopausa a estimativa aumenta, podendo chegar até 5% ao ano.
O treinamento resistido consiste em uma atividade voltada para o desenvolvimento das funções musculares através da aplicação de cargas, podendo esta ser imposta através de pesos livres (halteres, barras e anilhas), máquinas específicas, elásticos ou da própria massa corporal. O treinamento resistido ou musculação e uma intervenção efetiva contra a perda de fibras musculares, por aumentar a força, a massa óssea e a qualidade do músculo esquelético, pode aumentar a capacidade física e a taxa metabólica basal, reduzir fatores de risco para queda, a resistência à insulina e a gordura total e intra-abdominal dos idosos. Ainda não está bem esclarecido se a musculação adiciona proteção ao coração, mas certeza, sim, há quanto aos extremos benefícios sobre a função músculo-esquelética. Sendo eficaz para facilitar as tarefas corriqueiras do dia-a-dia como levantar-se da cama, da cadeira, subir escadas, carregar pesos, realizar tarefas domésticas e de lazer. Não devemos esquecer de aliar algum tipo de treinamento aeróbio (caminhadas, bicicleta, natação etc.) para melhorar o condicionamento cardiorrespiratório. Recomenda-se musculação com baixa carga (pouco peso) até mesmo para hipertensos, cardiopatas e indivíduos com insuficiência cardíaca. A avaliação deve ser sempre individualizada caso a caso.
O treinamento físico influencia positivamente todos os componentes do sistema músculo-esquelético, o equilíbrio, a flexibilidade, a mobilidade articular, a presteza dos movimentos. O treinamento resistido, quando orientado por profissionais capacitados, reveste-se de níveis adequados de segurança, sendo inclusive compatível e aconselhável mesmo para idosos com mais de noventa anos de idade.
Sendo assim, mexa-se, aproveite o tempo livre para exercitar-se, mas não esqueça: fale antes com seu médico e procure um profissional de educação física qualificado. Depois, só depende de você!
Adriana da Boit
Educadora Física e Acupunturista