Poluição Estrogênica

POLUIÇÃO ESTROGÊNICA

Justamente quando a Terapia de Reposição Hormonal (TRH) dita clássica vem passando por um reexame quanto a seus riscos e benefícios, retoma força um assunto pouco difundido entre médicos e leigos.
Nas últimas décadas, principalmente no pós-guerra, a Indústria Química vem lançando no mercado um número cada vez maior de substâncias sintéticas, numa velocidade que torna impossível o estudo correto de suas conseqüências a médio e longo prazo tanto sobre o ser humano e sua prole, quanto sobre o meio ambiente. Muitas delas não têm nem antídoto conhecido e muitas são mimetizadoras hormonais. Algumas imitam o estrógeno (hormônio feminino), mas outras interferem em outras partes do sistema endócrino, como o metabolismo da testosterona e da tireóide.
Elas espreitam a nós e a nossos filhos nos agrotóxicos, assim como nos agentes químicos industriais conhecidos como PCBs (usados em transformadores elétricos e muitos outros produtos) e nas dioxinas (produzidas durante a fabricação de certos agentes químicos que contêm cloro, como agrotóxicos ou produtos para conservar madeira, assim como durante o branqueamento do papel, queima de lixo contendo plásticos e papel e queima de combustíveis fósseis). Também são liberados da maioria dos plásticos e estão presentes na maioria os produtos cosméticos, incluindo shampoo e condicionador (é o caso dos parabenos).
São adicionados à ração dos frangos, do gado e dos porcos. A maconha também contém substância estrogênica e tem causado ginecomastia (aumento das mamas) entre homens.
Apesar de os detergentes não-biodegradáveis não serem intrinsecamente estrogênicos, certas bactérias encontradas no corpo de animais, no ambiente ou em instalações de tratamento de esgoto degradam-nos, criando agentes químicos que imitam os estrogênios.
Tratam-se de substâncias lipossolúveis, a maioria delas persistentes (que resistem à decomposição), e que, jogadas no meio ambiente, acabam se concentrando no tecido gorduroso dos animais. E essa concentração é exponencialmente maior à medida que se sobe na cadeia alimentar (pode ser 25 milhões de vezes maior em um predador do topo da cadeia do que na água que o cerca). E o homem não é um predador de topo de cadeia? Estes venenos estão em altas concentrações na gordura e no sangue de seres humanos e no leite materno. Além disso, ultrapassam a barreira placentária (venenos hereditários).
Esse mar de poluentes está aumentando a incidência de várias doenças como: câncer de mama, de útero, de próstata, de testículo; miomas e pólipos uterinos; tensão pré-menstrual (TPM); obesidade; hipotireoidismo; diabetes II; depressão, irritabilidade, ansiedade, agressividade; baixa imunidade; cálculos de vesícula biliar; varizes e hemorróidas; dores de cabeça; irregularidades menstruais; acne; hipertensão arterial; doenças auto-imunes, etc.
Mas o mais grave é que a taxa de fertilidade masculina está baixando 2% ao ano (20% por década), colocando em cheque até a perpetuação da raça humana neste planeta.
Os governos estão conscientes do problema; os cientistas também. Poucos médicos brasileiros sabem desta poluição e o povo é mantido no mais completo desconhecimento, pois as soluções envolvem multinacionais e não são do interesse dos poderosos.
Pensem nisso e procurem se informar. Recomendo o livro “O Futuro Roubado” – Theo Colborn – Editora LPM. Depois, tenham coragem para mudar e tomem alguma atitude. Defendam seus filhos e netos e o futuro da Humanidade.
Recomendo também o site: www.nossofuturoroubado.com.br e o vídeo “Agressão ao Homem” no www.YouTube.com (feito pela BBC de Londres).
Dra. Scheyla Ervis Ceroni –CREMERS 11063

Exercício Físico na Gravidez

Os exercícios físicos são essenciais para o bem-estar e saúde durante todos os períodos da nossa vida, inclusive no período de gerar uma nova vida. Os exercícios durante a gravidez já foram considerados um tabu.
As mulheres eram aconselhadas a ficar em pé o mínimo possível, levando uma vida sedentária. Hoje, no entanto, isto mudou, sendo a atividade física recomendada durante toda a gravidez pelos médicos, exceto para aquelas que apresentam complicações na gestação.

Para as mulheres que querem engravidar, as gestantes ou aquelas que acabaram de gerar seu filho necessitam de cuidados especiais: boa alimentação e atividade física orientada para cada uma de suas fases. Antes de engravidar a mulher deve preparar seu corpo e sua mente para este momento mágico que é a gestação.
Músculos posturais, debilidades de força e flexibilidade, condição aeróbica, musculatura do assoalho pélvico devem ser trabalhados.
Atividades Físicas Recomendadas:
* Exercícios aeróbios como caminhada, natação, ciclismo, hidroginástica;
*Musculação ou ginástica localizada;
* Alongamentos;
*Ioga
*Treinamento funcional;
*Pilates

Alguns benefícios do Exercício na Gravidez:
*Melhora do equilíbrio muscular e da coordenação motora
*Desenvolvimento da consciência e controle corporal
*Melhora da postura
*Diminuição da incidência de lesão
*Aumenta a resistência cardiorespiratória e muscular;
*Fortalece e tonifica os músculos da Pelve, abdômen e lombo- dorsais( músculos mais afetados durante a gestação).
Exercite-se com o consentimento do seu médico e o acompanhamento de um professor de educação Física.
E importante salientar que todo exercício deve ser feito de forma personalizada, fazendo as adaptações necessárias para cada fase gestacional, tornando o atendimento seguro e dinâmico. .

Adriana da Boit – Educadora Física e Acupunturista
WWW.adrianadaboit.com.br